Featured Slider

Dossiê: uma caneca quentinha & perguntas sobre o outono



Eu gostaria de ter publicado este post no equinócio de outono para desejar boas vindas a esta estação tão acolhedora, mas só comecei a escrevê-lo no último dia do mês de março e depois de vários imprevistos, cá estou eu em abril tentando encaixar um pouco da essência outonal presente nesses meses nesta postagem, através de fotografias e palavras que me fazem pensar nesta estação tão bonita.

Para isso, pensei em criar pela primeira vez uma tag que pudessem refletir um pouco da magia desse equinócio. Então é hora de pegar um cobertor, uma caneca quentinha de chocolate quente, chá ou quem sabe café com leite... o que você preferir e se aconchegar para começar a ler as perguntas e sinta-se livre para respondê-las também! 


Na cidade em que moro não existe outono, ou melhor dizendo, não existe de verdade nenhuma outra estação a não ser o verão, mas isso não me impede de comemorar os equinócios e solstícios, nem de imaginar como seria ter de fato cada estação do ano. Eu vivi poucos outonos, poderia até contar nos dedos, mas não lembro deles pois era pequenina demais. Mas gosto de pensar que há muitos que poderei apreciar no futuro. Então não desanime caso não haja outono onde você mora, pois mesmo eu mesma não tendo esta estação por perto de mim, eu penso nela com carinho e as minhas respostas serão baseadas no jeitinho em que eu imagino o outono :)




{Bússola} se o outono fosse uma moradia, qual ele seria? 

Seria uma cabana no meio de uma bosque com carvalhos, sequoias, maples, pinheiros e animais. 

{Lupa} o que você acha que as fadas do outono fazem na estação?  

Ajudam a abrir as pinhas, pintam as bolotas de carvalho de marrom, fazem as últimas folhas caírem, e sussuram no ouvido de alguns esquilos que estão em dúvida, quais os melhores lugares para estes enterrarem suas nozes e bolotas para o inverno. 

{Vela} quais cheiros te lembram ao outono?

O cheirinho de cappucino, lenha, terra molhada, canela, chocolate amargo e pinhas. 




{Mapa} o que você levaria na sua mochila para passear durante uma tarde no outono e para onde iria?

Lápis de cor, um livro de identificação de cogumelos ou pássaros, estojo de aquarela, um sketchbook e um caderno para colocar as folhas que eu poderia achar no caminho. Eu iria para a biblioteca, em um dia chuvoso e para um parque em um dia nublado ou ensolarado. Se houvesse por perto uma floresta, caminharia por ela e no final pararia em uma cafeteria para tomar um chocolate quente para me aquecer.

{Dó ré mi} Cite uma música e instrumentos que te lembram a estação

You already know - bombay bicycle club, esta música também me lembra a chuva e por coincidência, está chovendo enquanto escrevo este post! Violino e violoncello, ambos instrumentos lindos que combinam com o outono.

{Feche os olhos} se o outono fosse uma pessoa, como esta seria? 

Seria alguém gentil, com voz aveludada e acolhedora. Teria sardas no rosto, ombros e braços e uma risada alegre que deixaria traços de saudade. Teria espírito livre e cheirinho de chá de canela.  




{Cesta de palha} cite três coisas que você levaria para um piquenique de outono. 

Pequenos pães de abóbora, cookies de aveia com gotas de chocolate e cinnamon rolls

{Dicionário} cite algumas palavas que te lembram ao outono: 

Pumpkin, nozes, gengibre, oak, canela, aconchego ...

{Guarda-roupa} o que você teria em seu guarda-roupa de outono?

Meias 7/8 de algodão bem fofo, oxford marrom e alguma bota verde musgo ou caramelo para caminhar em florestas. Vestidos com gola peter pan, boinas e cardigãs quentinhos.  

{Pegadas} quais animais te lembram ao outono?

Corujas, esquilos, ouriços-terrestres, raposas, ursos...



{Pirlimpimpim} se pudesse criar um feitiço de outono, qual nome este teria e o que ele faria?

arbrétoile: se feito corretamente perto de folhas já caídas no chão,  iria fazer com que estas ficassem flutuando no ar, como se estivessem paradas no tempo quando estavam caindo das árvores, antes de tocarem o solo. 

Pensar em um nome foi um tanto difícil, mas acabei juntando as palavras francesas "arbre" (árvore) e "étoile" (estrela) por achar que a pronúncia dessas duas palavras juntas possui um toque mágico e a escrita também. Talvez as folhas flutuando no ar lembram um pouco as estrelinhas penduradas no céu... Como é uma palavra inventada, não tem como eu mostrar a pronúncia dela aqui, mas aqui estão os áudios das duas palavras sendo pronunciadas separadamente:

{Biblioteca} cite um livro cuja a capa e algum pedaço da história te lembre ao outono: 

Pax, a capa é em tons terrosos e tem ilustrada a raposa da história. O livro conta a história de Peter e Pax, a raposa que ele resgatou ainda filhote. Como muitos capítulos se passam na floresta mostrando o ponto de vista da raposa, o ambiente me lembrou um pouco o outono, por mais que não se passe nessa estação. O livro é um tanto tristonho, eu li há alguns anos atrás quando foi lançado...  

{Giz de cera} cite cores que te lembram a estação e dê nomes para elas

bolinho de chuva • latte  cozy   pumpkin
cinnamon   autumn  maçã do amor   chocolate
bosque  fôret  • musgo • erva doce 
muffin de amora • maple syrup



Esta foto com eu pulando voando me fez lembrar de Peter Pan, pois parece que encontrei um pouquinho de pixie dust e decidi ir pela primeira vez para a terra do nunca hihi... Aliás, as fotografias  que usei para ilustrar este post foram tiradas em julho do ano passado no Jardim Botânico de Curitiba (sim, vou fazer um post sobre o jardim ainda!), no meio do inverno, onde achei esse cantinho cheio de folhas tão gracioso e fui correndo brincar com as folhinhas. Passei bons minutos sentada ali me divertindo e jogando as folhas para cima  



Espero que tenham gostado do post!

 Já é outono na cidade de vocês?


Muito obrigada pelas palavrinhas deixadas para mim nos comentários do post passado,
já respondi todos eles com um sorriso no rosto

Sr. Carteiro: caixa misteriosa da Lalabug Designs


No dia 30 de maio de 2018, uma pequena caixa chegou aqui em casa depois de ficar cinco meses passeando por aí — muito obrigada por trazê-la para mim, Sr. Carteiro — Era uma caixinha que eu havia ganhado em um sorteio em que a Rena, artista canadense criadora da Lalabug Designs, fez em novembro do ano retrasado. O prêmio principal do sorteio, um chapéu customizado, era um antigo e grande sonho meu, mas também haviam prêmios secundários que eram quase tão empolgantes quanto: as caixas misteriosas. 

um pouco sobre a lalabug designs 


Lembro do momento em que acabei encontrando por acaso a fotografia de uma menininha com as roupas que pareciam terem saído de um livro de contos de fadas e com as perninhas sujas de lama como se tivesse ido em uma aventura em um mundo distante. Nesse momento em que meu coração se encheu de amor, ao mesmo tempo que meus olhinhos brilhavam ao apreciar cada detalhe da cena. Foi assim que descobri os chapéus da Lalabug, através dessa linda foto com essa pequenina fada aventureira, usando a roupinha encantada, que parece ser um flower fairy da Cicely Mary Barker.


fotografias pela Jenn

A Rena encontrou uma porta mágica ao começar a explorar as possibilidades com lã e outras fibras, foi com esse material que ela se apaixonou e deixou a sua criatividade fluir, criando assim a Lalabug Designs e os seus lindos chapéus e outras peças feitas de lã à mão. Suas criações parecem terem saído de um conto de fadas, seus chapéus carregam e contam histórias de um jeitinho único, trazendo cor e magia para o mundo. Ah! Seus chapéus não são só para os pequenos, não! Atualmente a Rena está focando em fazer mais chapéus para adultos que ainda possuem os seus espíritos de criança.






As minhas criações preferidas dela são as acima, cada um desses chapéus para mim possui a essência das estações, então eu escolhi um para cada: primavera, outono, verão e inverno. Consigo me imaginar usando o chapéu de flor e ao fechar os olhos, imagino borboletas, joaninhas e abelhinhas felizes ao meu redor. Me vejo usando o chapéu de bolota de carvalho enquanto exploro os caminhos enfeitados por folhas caídas, iria me sentir preciosa como este tesouro do outono tão querido por mim e adorada pelos esquilinhos. O de inverno para me camuflar em uma floresta branquinha coberta pela neve enquanto eu me mantenho aquecida pela lã e me sinto mágica como uma flor de snowdrop. O de verão, para me sentir como uma elfa entre as folhas verdes e leves da estação...



Posso nunca ter achado um trevo de quatro folhas, mas me sinto tão sortuda por ter encontrado por acaso o trabalho da Rena e mais sortuda ainda por anos depois ter tido um papelzinho com o meu nome escrito tirado pela fofa da Isla, sua filha mais velha, de dentro de um chapéu lindo (foi assim como ela sorteou os nomes, tão divertido!) que ela criou com suas mãos, foi um momento tão surreal que quase fiquei sem acreditar.

Curiosidade fofa: A Lalabug designs tem esse nome fofo e peculiar em homenagem as filhinhas da Rena, cujo os apelidos Lala e Bug juntos formaram esse nome lindinho e gracioso. 

a caixa misteriosa do sorteio 




A caixinha veio toda lindinha assim para mim. Em cima de tudo havia um papel de embrulho que escondia um cartão com a arte da Lalabug e um bilhetinho fofo escrito  pela Rena. Dava para ver que ela montou a caixa com carinho e atenção e eu me senti tão especial e sortuda quando a abri!  

Em uma caminha de musgo estavam dormindo dois pacotinhos brancos, uma lavanda preservada (Lavandula Angustifolia) que fez meu coração dar ainda mais alguns pulos de alegria, um cristal branco e um "Poppy Straw" que é a cabeça de uma flor conhecida por aqui como Papoila-dormideira. 




A lavanda em si já era um presente enorme para mim. Fiquei tão, mas tão contente em poder sentir o cheirinho e contemplar a beleza de uma lavanda-inglesa! São as minhas lavandas preferidas (mas todos os tipos de lavanda possuem um espaço no meu coração), porém eu ainda não havia tido a sorte de ver uma pessoalmente e agora possuo essa linda lavandinha para enfeitar a minha vida. O musgo também me deixou contente, pois já consigo imaginar alguns de seus pedaços enfeitando uma pequena parte do meu ninho. 



O bilhetinho de agradecimento escrito à mão fez um sorriso brotar em meu rosto. Vou guardá-lo para sempre lembrar de deixar as palavras de amor que transbordam de mim quando eu vejo algo que me faz sorrir ou que toca o meu coração, seja uma ilustração de uma artista que admiro, ou uma foto de alguém que coloriu o meu dia. É tão bom relembrar que as minhas singelas palavrinhas podem motivar alguém a continuar a fazer aquilo que ama, saber que um gesto tão simples pode deixar o dia de alguém feliz e florido me deixa ainda mais animada para continuar as semeando por aí.


 os pacotinhos 


Foi tão divertido decidir qual pacotinho eu iria abrir primeiro. 

Estava ansiosa para ver o que haveria dentro de ambos, qual surpresa eles estariam guardando à sete chaves? 


Escolhi abrir o mais fino primeiro e, para a minha felicidade, dentro havia... 


Lã!  Lã de ovelha merino, uma lã tão macia e cheia de propriedades interessantes. Sendo o seu material principal, a Rena adquire a lã de uma fazenda do Canadá que praticamo cultivo desses animaizinhos de forma humanitária e consciente. Imagino as ovelhinhas vivendo soltas e livres ao redor de muito verde e sendo cuidadas com carinho e amor por uma família, nada de dor e sofrimento. A lã é tão macia e confortável que eu fico com muita vontade de poder abraçar uma ovelhinha um dia (aliás, ovelhas são um dos meus animais preferidos. hihi)



Não só lã, mas um mini kit para fazer a minha própria amanita muscaria, esse cogumelinho vermelhinho dos adesivos ao lado (que ainda estão na fase jovem) e que mais parecem ser chapéus de gnomos para os meus olhinhos. Fiquei tão, tão contente!! Acho que já falei por aqui o quanto amo cogumelos e que encontrá-los depois de dias chuvosos me deixa com o coração cheio de felicidade. Acho-os tão curiosos, adoro observar os detalhezinhos que cada um possui e a mágia que carrega consigo. Ainda não tive a sorte de encontrar uma amanita muscaria, mas quem sabe um dia?



Eu só gostaria de ser miúda o bastante para me afofar nessa lã e fazer minha própria caminha para eu tirar uma soneca. 
É tão macia e suave! Fico com soninho só de imaginar como seria aconchegante me deitar aí. 


 Werifesteria 



Dentro do segundo pacotinho havia algo que parece ter saído diretamente de uma floresta encantada e talvez tenha mesmo, pois o nome dado pela Rena (Werifesteria) significa to wander longingly through the forest in search of mystery!  Parece uma luva (aliás, daria uma luva incrível e quentinha se fosse!), mas é um cuff. Não sei como traduzir esste item para o português, mas sabem aqueles braceletes de couro da era medieval ou o de metal da mulher-maravilha? Bem, é isso. Só que nesse caso não é para o pulso e pode ser usado no tornozelo que é onde eu irei pôr futuramente quando for andar perto das árvores e me sentir como uma criatura da floresta.   




 Amei o fato de ter cogumelos crescendo nele e ter esse lacinho tão delicado ✧ 




Espero um dia poder realizar o meu sonho de ter um, ou quem sabe dois ou três, chapéus feitos pela talentosa Rena Hood e compartilhar aqui cada detalhe e várias fotos desse tesouro. Às vezes fico imaginando como seria o meu chapéu... talvez seria uma chapéu de bolota de carvalho para eu me sentir como esse tesourinho do outono, ou então um chapéu de flor para eu brincar de esconde-esconde em um campo florido e me tornar uma flower fairie, ou talvez um hood de elfo para eu me sentir como um ser etéreo ou quem sabe um chapéu de bruxa para eu virar uma guardiã da floresta?  Acho que eu demoraria uma eternidade para decidir!



Ps.: esse post estava em rascunho desde abril do ano passado (finalmente tirei a poeira dele e terminei de escrevê-lo, ufa!). O próximo Sr. Carteiro será sobre uma cartinha muito linda e querida que eu recebi há algum tempinho. Estou tentando atualizar essa categoria, pois tenho muita coisa para mostrar por aqui. hihi 



Obrigada por lerem até aqui! 

Muito obrigada por todos os comentários fofos no post passado, eles me fizeram sorrir e eu já respondi todos