Sr. Carteiro: a arte de trocar cartas

Recentemente fiz um pequeno vídeo com alguns dos momentos mais mágicos para mim na arte de escrever cartas e percebi que fazia tempo desde a última vez que eu partilhei por aqui as cartinhas que eu fiz e também que recebi, então decidi tirar o pó dessa categoria tão querida para mim que é o Sr. Carteiro, porém dessa vez não irei mostrar apenas uma cartinha ou outra e sim trazer pot-pourri com um pouco de tudo, desde ensinar como faço meus lacres com giz de cera, mostrar alguns dos envelopes que decorei, mais duas cartinhas que recebi e falar um pouco da escrita com bico de pena. 

Ps.: não é assim que eu datilografo! rs  

Eu amo diversificar a escrita da carta em si, tem dias que uso papéis de carta vintage  que eu já mostrei há alguns anos atrás aqui no twee e me sinto transportada para a década de 90, às vezes uso papel vegetal pois acho um tanto mágico o efeito de ver uma carta escrita em um papel semi-transparente, ou simplesmente uso a folha de um caderno do ursinho pooh que eu adoro pois acho a folha uma gracinha, mas de qualquer forma o processo é sempre divertido, pois o momento de sentar para escrever uma carta à mão é insubstituível... 






Às vezes uso a minha máquina de escrever para ditalografar a carta inteira, eu a tenho desde os meus nove aninhos, pois fui o tipo de criança que queria aprender a ditalografar então eu pedi de presente de aniversário e, honestamente, foi o melhor presente que eu já pedi quando criança!  Ela é uma olivetti lettera 82, mas a chamo carinhosamente de Olive e está comigo há mais de dez anos, mas precisamente fazem exatamente onze anos e vinte e dois dias que ela me acompanha.  



Depois de muitos anos com a Olive anos me acompanhando, sempre na cor original de verde militar, eu decidi finalmente pintá-la e depois de ficar decidindo entre a cor menta ou rosa, acabei escolhendo um tom de rosa clarinho e me encantei com o resultado! Eu a pintei em casa com apenas uma lata de tinta spray e depois de seco, também usei um guardanapo floral para fazer decoupage na lateral e na área onde ficava escrito o modelo da máquina, para ficar a cara da primavera. 

lacre caseiro com giz de cera

Sempre achei a coisa mais mágica do mundo lacrar as cartas com cera e  o processo em si parecia ser tão divertido; usar uma vela para o calor derreter a cera e despejá-la na carta, colocar o sinete na mini poça de cera e ver ela tomando forma arredondada, retirar o sinete e ver o lindo símbolo impresso no lacre... Felizmente para o meu bolso, no início em que comecei a trocar cartas, não me agradou a ideia de gastar uns vinte a trinta reais com um único sinete e ainda por cima, nunca achei nenhum que me agradasse ao ponto de querer gastar esse dinheiro, e como ainda haveria teria o custo da cera e da colher, preferi esperar para no futuro fazer essa compra.  

Porém, felizmente não é preciso ter todos esse materiais caros para poder reproduzir belos lacres de cera, então eu pesquisei alguns tutoriais e resolvi que iria começar a usar os itens que eu já tinha em casa para trazer mais magias as minhas cartas. Eu preferi não fazer nenhum sinete caseiro — apesar de haver vários tutoriais ensinando diferentes métodos  pois gostei do efeito que eu consegui usando apenas o meu mini potinho de vidro e achei que um lacre sem símbolo algum é igualmente charmoso. 



    itens que você vai precisar

  • Tubo de cola quente 
  • Giz de cera da cor desejada 
  • Vela e fósforo ou isqueiro
  • Colher de metal comum
  • Palito de dente ou qualquer outro objeto para misturar.
  • Sinete caseiro ou bumbum de algum objeto de vidro redondo (como mostro no vídeo)


 A única atenção que é preciso ter é a proporção do tubo de cola quente para a giz de cera. Você pode usar uma tesoura ou um estilete para cortar ambos em pedaços pequenos, tentando cortá-los em tamanhos similares. A proporção correta é de. 1:1 e precisamos ter uma mistura de cera o bastante para despejar e não faltar, eu costumo usar dois pedaços de cola e dois pedaços de giz de cera. Como o giz de cera derrete mais rápido, eu começo colocando a cola na colher e derretendo ela primeiro. A vela estará aquecendo a colher e o calor irá derreter tudo, depois é só usar um palito de dente ou uma outra colher para  certificar que está tudo misturado. Por fim, é só despejar a mistura no envelope e usar o bumbum de um objeto de vidro redondo com diâmetro pequeno ou um sinete caseiro. 

alguns envelopes que decorei





Decorei esse envelope creme na temática de abelhas e mel. Eu particulamente amo fazer o lacre de cera nessa cor, pois me faz pensar que, se as abelhas trocassem cartas, elas usariam a própria cera que produzem para selar cada cartinha e o carteiro-abelha iria voar para entregar as correspondências em outras colméias! Preciso ilustrar essa cena da minha imaginação e colocá-la em uma folha de papel...


Já essa carta fiz inspirada no outono, então eu decorei o envelope de papel kraft usando um stencil de folha maple e tinta dourada. Eu comprei esses stencils há muitos anos atrás na papelaria perto de casa e desde então os uso para estampar folhas nos envelopes! Essa foi uma das cartas que eu ditalografei, assim como a carta que estava dentro do envelope creme da foto anterior e foi depois de escrever as duas na minha máquina de escrever que a tinta preta acabou depois de anos de uso!  

escrevendo com bico de pena e tinta

Esse ano realizei um sonho antigo meu que era começar a aprender a escrever com bico de pena e tinta, estou ainda aprendendo e cada letra formada com êxito e leveza para mim é um motivo de celebração! Eu fui atrás de bicos de pena e achei apenas duas na única papelaria que vende itens de caligrafia aqui na minha cidade, a primeira é da marca Leonardt e o seu nome é "pumpkin" e ela é azul, achei uma gracinha um item como esse ter um nome tão fofo! A segunda é também da Leonardt e se chama Hiro 41. Junto eu levei uma tinta nanquim da trindent (pois como seria só para treinar, queria a mais baratinha) e uma  caderneta de caligrafia voltada para lettering, pois as páginas eram grossas e apesar dos exercícios serem voltados para serem feitos com aquelas canetas com ponta de pincel, eu tive um ótimo aproveitamento dos exercícios usando as penas.  

Depois de algum tempo praticando linhas, letras, palavras e frases, decidi que iria começar a escrever algumas das cartas com bico de pena, então fui atrás de uma tinta marrom e acabei comprando essa da pelikan que se chama brilliant brown e eu estou encantada até hoje com a cor que infelizmente não apareceu muito bem no vídeo. 


algumas das cartinhas que recebi

A Lune encontrou o twee e depois de trocarmos algumas mensagens pelo instagram, perguntou se podia me enviar uma cartinha e eu prontamente respondi que sim e que iria adorar escrever uma de volta para ela. Bom, foi esta bela carta que recebi.

No instagram da Lune ela às vezes mostra alguns dos envelopes que decora para enviar junto com suas cartas.


Já a carta da Jéssica veio diretamente do país das maravilhas! Nem preciso dizer que fiquei encantada com cada detalhe.




Hoje guardo as cartas com muito carinho e adoro tê-las para poder reler no futuro, é uma verdadeira viagem no tempo!


Espero que tenham gostado do post! 
Agradeço de coração pelos comentários na postagem passada, respondi todos com um sorriso no rosto.


4 comentários

  1. Quanto cuidado, afeto e delicadeza nessa postagem ♡ Obrigada por ela, Mel.

    (Encantada também pela máquina cor-de-rosa!)

    Abraços e uma semana bem bonita pra ti.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Larissa, seu comentário aqueceu o meu coraçãozinho! Eu que agradeço, chuchu.
      Ah! Desde que eu a pintei, eu nem consigo imaginar ela de outra cor sem esse tom de rosinha pastel.
      Muito obrigada pelo carinho e pelas palavras! Um abraço de urso em ti e muitos dias leves pela frente ♡

      Excluir
  2. Oi, Mel! 🌸
    Lindo post da minha seção favorita do seu blog!
    Bom espairecer a mente um pouco com as ideias e os ensinamentos que você passou!
    E que legal que você, sendo tão nova, nascida nos anos 2000, cultiva o hábito remoto e distante de escrever em uma máquina de escrever e isto já há uma década. Admirei!
    Eu, sendo nascida em 93, escritora de cartas e aspirante à escritora de livros, cultivo o desejo de um dia possuir uma máquina de escrever.
    Abraço e beijo!
    ~Cartas da Gleize. 💌💕

    ResponderExcluir
  3. eu não imaginava que escrever com bico de pena fosse tão prazeroso, até escrever hahaha
    eu amo colocar as coisas no papel. Por mais que seja mais prático digitar, escrever me concentra e faz tudo ser mais "intimo". Namoro há 7 anos, nos vemos todos os dias, mas ainda trocamos cartas hahahaha

    ResponderExcluir

Deixe um comentário, eu irei adorar saber a sua opinião sobre o post!

* Não é preciso ter um blog ou uma conta para comentar não, viu?

♥ Clique na caixinha "Notifique-me" ali do canto caso queira saber qual foi minha resposta para o seu comentário.