30 de set de 2017

Pedacinhos da Primavera



 

Coletei sementes de mimo-do-céu branca (Antigonon leptopus alba) um pouco antes do início da primavera, pois acabei encontrando algumas pela primeira vez em meu caminho. Assim que cheguei em casa eu as semeei e em poucos dias os brotos surgiram. Agora já estão crescidos, com folhas em formato de coração. Se alguém quiser receber algumas das sementes que coletei, é só me enviar um e-mail ou uma mensagem que eu ficarei feliz em enviar pelo correio.

Assim como eu, as abelhas também amam essas flores. Essas do vidrinho são as rosas, elas são mais comuns por aqui do que as brancas, mas não menos belas. Em qualquer lugarzinho verde essas flores surgem e levam magia. As flores silvestres me encantam de uma forma única.








Esses dias eu achei essa foto perdida na minha bagunça e decidi pôr aqui, mesmo ela sendo do ano retrasado. Eu comprei um sapatinho novo, algo que não faço com frequência. A propósito, há tempos que não escrevo e fotografo algo para "O Guarda-roupa" e o que me deixa triste, então irei tirar a poeira de lá em breve! 

Mal posso esperar para tê-los em meus pés e andar com eles por aí, espero caminhar por lugares lindinhos floridos com meus novos sapatinhos.  




Aos poucos flores e folhas preenchem as páginas do meu livro. Um dia desses a minha vizinha de oito anos veio toda feliz e me presenteou com uma flor que ela encontrou e guardou para mim. Foi um gesto tão lindo e carinhoso que fiquei com o coração quentinho e dei um abraço apertado nela, ganhar flores de alguém querido é algo maravilhoso e acolhedor. 

Atualmente tenho um ramo de baby's breath no meu livro e vários trevinhos que colhi, mas nenhum de quatro folhas, o que não significa que não tenho sorte, pois há dias que me considero a pessoa mais sortuda do planeta.



   



Eu amaria saber alguns dos pedacinhos da primavera de vocês, então sintam-se livres para deixarem nos comentários :)

Obrigada por todo o carinho.




27 de ago de 2017

Wanderlust: Casa de boneca


Uma linda porta branca com detalhes em azul e um sino antigo ao lado, foi o que vi assim que chegamos na pousada em que ficaríamos durante a nossa estadia em Cunha. Os cachorros nos cumprimentaram e nos deram boas-vindas, haviam primaveras no chão e flores por todo lado. Fomos andando e conhecendo cada cantinho bonito que havia por lá enquanto os meus olhos brilhavam com cada detalhe. 



Antes da viagem ocorrer, eu estava à procura de uma pousada que fosse cativante e confortável, então fiquei muito feliz quando encontrei essa. Quando chegamos lá, fui surpreendida com muita beleza além do que eu imaginava. Cheia de plantinhas, flores, abelhas, além de cachorros amigáveis que moravam lá e nos faziam companhia, era tudo muito acolhedor.
A pousada se chama Pouso caminho das Artes e tem um nome lindinho ao meu ver. Parece que somos passarinhos e pousamos ali por um período de tempo. Bom, eu fui um passarinho muito feliz enquanto estive por lá! 




A decoração de todos os ambientes era muito graciosa, cheia de detalhes apaixonantes que faziam eu me sentir em uma casinha de boneca. Na porta de entrada, por exemplo, haviam chaleiras penduradas e um porta guarda-chuva e ao lado haviam girassóis. Todo o ambiente era iluminado com os raios de sol, graças às lindas janelas que eram enfeitadas com adesivos de passarinhos e que tinham uma vista verdinha por conta das plantas do lado de fora.


Um lindo papel de parede floral enfeitava o local em que tomávamos café da manhã e perto dali havia um cantinho de leitura com uma janela fofa e cortina de renda. Além do café da manhã, havia o chá da tarde que era um momento especial e sempre muito caloroso. Nós podíamos saborear vários sabores (o chá de menta era delicioso!) e cafés, além de comer coisinhas deliciosas que, em sua maioria, eram feitas pela própria moça que trabalhava lá, o que nos deixou encantados pois tudo era tão gostoso.


Talvez por conta do nome da pousada, ou pelas flores e árvores, os passarinhos sempre estavam por lá. Esse fofuxo com barriga amarelinha tomou banho na piscina logo de manhãzinha, quando eu era a única lá fora, dando bom-dia para as flores e me aquecendo com os raios de sol (eu bem-te-vi! hihi). Pude ver essa cena tão adorável e divertida e até consegui fotografá-lo, o que me deixou ainda mais feliz. Fiquei com tanta vontade de ser pequenina o bastante para poder abraçá-lo!

As abelhas também sempre voavam por ali e ficavam especialmente nas lavandas. Eu adorava acordar bem cedinho e ir admirá-las quando estava frio e ensolarado. Lembro que tive uma grande sorte, pois quando entrei no quarto em que ficaríamos, vi que atrás da minha cama havia uma janela grande que dava para essas flores perfumadas e era possível ver as abelhas também. Fiquei tão surpresa e alegre por esta serendipidade!




Cada cantinho da pousada era fofo, dava vontade de fotografar cada detalhe (e eu fotografei) e não sair de lá, mas as aventuras me chamavam e eu logo me animava. Espero que tenham gostado de conhecer a pousada comigo! Senti a necessidade de compartilhá-la aqui, pois ela contribuiu para que os meus dias em Cunha fossem mais felizes e aconchegantes. 
Como sempre, deixo aqui as anotações que escrevi enquanto estava lá: 


Minhas manhãs em Cunha

geleia de frutas vermelhas
vento frio
pássaros cantando e brincando
raios de sol
xícaras 
10°C
silêncio doce



Caso você não tenha visto, esse foi  o primeiro post da viagem, em que apresentei a cidade: Sonho com cheirinho de lavanda


Está sendo maravilhoso escrever os posts dessa viagem tão querida e relembrar cada momento.